Fundador do Tugaleaks reafirma a sua inocência

 
Rui Cruz, fundador do Tugaleaks – um site informativo independente – foi constituído arguido na sequência de uma investigação judicial a vários ciber-ataques a sites e sistemas informáticos, reivindicados por grupos de hackers. O Ministério Público suspeita que tenha agido como instigador dos ataques e noutros terá mesmo colaborado. Rui Cruz nega todas as acusações, afirmando que noticiou os ataques no Tugaleaks mas não participou neles: “Estou inocente dos crimes que me acusam. Acusam-me de estar a apoiar as actividades de hackers apenas por divulgar a informação relativa à sua actividade. Confundem dar as notícias com o fazer parte da notícia.”

Em Fevereiro, o criador do Tugaleaks e sete outras pessoas foram sujeitas ao termo de identidade e residência e proibidas de aceder à internet. Estas restrições não só o impedem de continuar o projecto Tugaleaks como também já o fizeram perder o trabalho: “Até que o processo acabe, estou proibido de exercer a minha actividade profissional. Não posso sequer aceder à internet. Privaram-me do direito legítimo e constitucional ao trabalho. O alegado perigo de reincidência não faz nenhum sentido pois eu estou inocente. É um atentado à liberdade de imprensa.”

Será Rui Cruz um perigoso hacker? Ou será esta uma tentativa de calar o Tugaleaks, um órgão de informação independente de interesses económicos e políticos? Estamos perante um ataque à liberdade de imprensa?

O vídeo acima mostra a sua intervenção no programa Você na TV, transmitido pela TVI a 5 de Março.

Comentários

  1. diz

    (Primeiro Ponto)

    A WikiLeaks é uma operação da CIA – uma falsa organização de imprensa alternativa, muito promovida pelos restantes média controlados, que na verdade também emite a propaganda que interessa ao sistema emitir. E, muita gente foi capaz de a topar, logo no início.

    http://blackfernando.blogs.sapo.pt/wikileaks-45577

    Mas, para quem isto não chegar, existe um livro inteiro dedicado a desmascarar tal organização

    http://www.trineday.com/paypal_store/product_pages/9781937584115-Deconstructing_Wikileaks/index.html

    escrito pelo autor Daniel Estulin, que já repetidamente tem provado a sua credibilidade.

    http://www.forumdefesa.com/forum/viewtopic.php?f=24&t=10579

    Um dos propósitos de tal grupo, é criar a ideia de que a Internet é um sítio muito inseguro, onde qualquer informação privada de alguém pode ir parar, sem que seja possível impedi-lo – o que irá criar, no futuro próximo, o pretexto para que os governos ocidentais comecem a passar leis que visam controlar a Internet (que é um meio ainda não controlado, a partir do qual muita gente está a saber de coisas que não é suposto saberem, através dos verdadeiros jornalistas alternativos, alvo de boicote por parte dos média convencionais e que ainda vão podendo operar neste meio livre).

    Podem procurar por algumas introduções a este assunto, usando a seguinte etiqueta: http://www.danielestulin.com/etiquetas/wikileaks/

    Ora, se surge uma organização que é a versão portuguesa de tal projecto WikiLeaks, o que acham que isto é?

    (Segundo Ponto)

    Os “Anonymous”, “LulzSec” e afins (leia-se, os grupos de hackers que andam a invadir este e aquele servidores na Internet) são também grupos criados pelo próprio poder estabelecido.

    Leia-se a “piada interna” que fez um dos envolvidos nestes grupos

    http://www.prisonplanet.com/lulzsecs-fbi-informant-leader-hinted-at-cia-connection.html

    e as constantes denúncias que, mais uma vez, o credível autor Daniel Estulin tem feito destes hackers.

    http://www.danielestulin.com/2012/02/01/el-papel-de-anonymous/

    O propósito destes ataques é, uma vez mais, criar a ideia de que a Internet é um sítio inseguro e de que é preciso passar leis para a controlar.

    Ora, se há grupos portugueses a fazer o mesmo que fazem os “Anonymous” e afins, o que acham que estes grupos são?

    (Terceiro Ponto)

    Este tipo de grupos controlados pelo Sinarquismo Internacional, que se fazem passar por alternativos, costumam ser organizados desde lojas maçónicas e afins.

    Veja-se o caso dos bolcheviques, na Rússia,

    http://www.danielestulin.com/2010/05/29/los-poderes-facticos-en-la-sombra-en-la-revolucion-sovietica/

    e outro mais recente exemplo, de outra organização que se diz alternativa, no vizinho Estado Espanhol.

    http://blackfernando.blogs.sapo.pt/o-movimento-podemos-e-uma-criacao-da-78127

    Ora, se o líder deste grupo “TugaLeaks” anda a tirar fotografias onde faz gestos típicos da parte “iluminada” da Maçonaria, o que acham que querem estes gestos dizer?

    http://3.bp.blogspot.com/-oVn9Aqy3Oxc/UH2q10euRiI/AAAAAAAAAf4/W2Xeg3X_Mk8/s1600/rui_cruz.jpg

    (Que cada um junte os três anteriores pontos da maneira que quiser. Pois, eu já o fiz há muito tempo – e não tenho dúvidas das conclusões a que cheguei…)

    Tenta enganar quem quiseres, Rui Cruz. Pois, a mim é que não consegues.

    Já ando no mundo dos média alternativos há tempo suficiente para topar os falsos opositores a milhas.

  2. diz

    Correcção:

    Quando falo em já “ter juntado os pontos” há muito tempo, falo do Primeiro e do Terceiro pontos. Pois, o Segundo foi uma adição recente (a qual só veio confirmar o de que já eu me tinha claramente apercebido).

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Por favor complete a conta, em baixo (captcha) * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.