Eusébio: o último herói?

Eusebio

Publicado a 21 de Janeiro de 2014 no semanário O Diabo

Pertenço a uma geração de portugueses que nunca viu (nem ouviu) o Eusébio jogar numa emissão em directo. Além disso, pertenço a uma minoria (?) para a qual o futebol passa ao lado. E há motivo para isso: tal como na política, os jogos parecem muitas vezes ser decididos nos bastidores, bem longe do relvado. Basta ver o mais recente sorteio da Taça de Portugal, no qual – por lapso – um clube foi anunciado segundos antes de ser sorteado!

Mas sei que Eusébio não foi apenas um dos melhores jogadores de futebol de sempre. Sei que ele ganhou campeonatos numa altura em que não eram arbitrados pelos homens da ‘fruta’. Que não acumulou vitórias nem fortunas à custa de faltas simuladas. Que foi genuinamente elevado ao estatuto de herói, não porque a comunicação social assim o quis – mas por ter vestido a nossa camisola e por ela ter lutado com sangue, suor e orgulho, levando mais uma vez o nosso nome a todos os cantos do planeta.

Eusébio arrastou multidões na vida e na morte, unindo-as por um único sentimento: o amor a Portugal. E é esse amor à pátria lusitana que é visto com desdém por toda a classe política, escrava dos interesses partidários e da alta finança. A presidente da Assembleia apressou-se a criticar a entrada do ex-jogador no Panteão Nacional com o argumento de que teria “custos mesmo muito elevados” – quando na prática correspondem a um jantar de um qualquer congresso destes arautos da pseudo-austeridade. Acontece que o Pantera Negra não pertenceu à maçonaria. Recusou convites para apoiar figuras políticas. Assumiu-se como português, mesmo quando os políticos do 25 de Abril lhe disseram que já não era.

No fundo, o povo português ama Eusébio por ter feito no futebol aquilo que já nenhum português faz na política, aos comandos da nação. Porque hoje a política pertence aos vendidos. E hoje, como nunca, necessitamos de quem vista verdadeiramente a nossa camisola. Ou ficará Eusébio para a História como o último herói, desse pedaço de terra outrora conhecido como Portugal?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Por favor complete a conta, em baixo (captcha) * Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.